sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Sem estupro

E Fernando Meirelles acabou cortando as cenas de estupro de sua adaptação de "Ensaio Sobre a Cegueira". Ao que parece, nas sessões já realizadas, muitas pessoas se retiravam da sala de exibição diante da brutalidade das seqüências. Meirelles, obviamente pensando no mercado, acabou, assim, podando seu longa. Sinceramente, creio que é uma atitude tremendamente boba por parte destes espectadores. Se fossem cabeças voando (mesmo que de mulheres), eles (acredito que predominantemente elas) não deixariam a sala... E, se essa adaptação restar muito maquiada, resultará em um tremendo fracasso. Abaixo, fotos (divulgadas pela assesoria de imprensa da Fox) da coletiva dada pela equipe do filme logo após a exibição para imprensa, em São Paulo. O filme tem estréia nacional no próximo dia 12.

Blog Widget by LinkWithin

5 comentários:

Bauducco disse...

Que vacilo!

Não bastasse a dificuldade de adaptar uma obra tão famosa e conceituada, o Fernando Meirelles agora corre o risco de conseguir impactar o público menos do que o livro, que é feito apenas de palavras.

Espero que o resultado final não seja brando demais. Seria uma decepção!

Fábio Henrique Carmo disse...

Concordo com você. Ele está correndo esse sério risco.Na Rolling Stone esse disse que chocar é muito fácil e que quer causar reflexão, não que as pessoas saiam do cinema.Bem, só restas aguardar. Só para comentar meu raciocínio: em Cidade de Deus (também de Meirelles) há uma cena extremamente violenta, uma das mais violentas que já vi no cinema. Nela, Zé Pequeno entrega uma arma para que uma criança mate outra. É brutal! Não me lembro de notícias falando que pessoas tinham deixado a sala por conta disso...

Bauducco disse...

Ele está estuprando a inteligência do espectador!

Peru disse...

Que decepção!

Muito fraco o argumento "quero que as pessoas reflitam", tá na cara que ficou com medinho que o filme fosse um fracasso e ele não tivesse mais moral pra recusar dirigir filmes do James Bond.

Uma das partes mais chocantes do livro é exatamente a do estupro, porque mostra não apenas a selvageria da situação, mas do ser humano.

Quando eu soube que iam filmar a adaptação do livro eu lembro de ter pensado em como seria foda a cena em que a mulher do médico chupa o pau do cara...espero que pelo menos essa cena esteja no longa, mesmo que pouco explícita.

Fábio Henrique Carmo disse...

Também sempre imaginei como seria essa cena. Aliás, toda essa seqüência do estupro coletivo teria que ser mostrada. Não precisaria ser de forma explícita, poderia ser no escuro, por exemplo, mas tinha que estar lá.